xxxxxxx

******

sexta-feira, 23 de abril de 2010

AMOR



Ontem , 22 de abril, o Brasil completou  510 anos . Parabéns!
Já está ficando velho, era hora de parar de se comportar como o coitadinho do terceiro mundo.
Esses politicos gananciosos serem banidos pelo povo e esse povo ter mais amor a sua terra.
Melhor nem começar a escrever.Seria repetir o que todos já sabem. Basta olhar as nossas diferenças sociais.

terça-feira, 20 de abril de 2010

Xingu- Belo Monte- Mais um crime ambiental



O Xingu é um rio peculiar e único. Não dá para compará-lo com qualquer outro rio da Amazônia. Só ele faz aliança com o majestoso Amazonas através de um largo delta. Na foz, suas lindas águas verdes-esmeralda se mesclam com as águas barrentas do rio-mar no qual se perde finalmente acima do Forte de Santo Antônio de Gurupá. Percorreu 2045 km desde Mato Grosso onde nasce a 600 metros acima do nível do mar na junção da Serra do Roncador com a Serra Formosa.
O Xingu é misterioso. Seu nome até hoje não tem explicação etimológica. Alguns estudiosos querem traduzi-lo como “casa dos deuses” ou melhor “Casa de Deus”, mas não se tem certeza qual seria a verdadeira raiz subjacente a este nome. Suas águas ora são calmas e pacíficas formando extensos lagos, ora furiosas e indômitas quando se estreitam em perigosas cachoeiras que já ceifaram muitas vidas de viajantes desavisados ou afoitos que teimaram em enfrentá-las. Pode ser que não seja a Casa de Deus, mas que é um rio sagrado para os povos que habitam nas suas margens há milhares de anos, quem teria a ousadia de negar!
No dia 3 de junho de 2007, os participantes do encontro foram para a beira do rio, em Altamira, para uma manifestação contra o projeto de hidrelétrica ressuscitado que recebeu o nome “Belo Monte” em substituição à denominação anterior “Kararaô” que equivale a um grito de guerra do povo kayapó. Mudou apenas o nome! O atual Governo o considera prioridade no Plano de Aceleração do Crescimento (PAC). O presidente Lula antes de ser eleito manifestou-se contra Belo Monte.
A pergunta chave é: A quem mesmo interessa Belo Monte? Ao Brasil? Vai melhorar o padrão de vida dos paraenses, dos xinguaras, do povo de Altamira, Vitória do Xingu, Souzel, Anapu, da Transamazônica, do Baixo Xingu? A energia, a quem será destinada? Todos sabemos que serão mais uma vez beneficiadas as multinacionais que vivem às custas do Brasil com todas as mordomias fiscais e facilidades energéticas. O preço da energia para a família brasileira é escandaloso, é exorbitante, mas as empresas transnacionais contam com a benevolência magnânima dos sucessivos Governos. O Pará, a Amazônia é considerada mera “província” energética, mineral, madeireira, última fronteira agrícola... Nunca saiu dessa categoria de “província”! A metrópole, o centro nevrálgico das decisões e deliberações, sempre se encontra alhures! Pouco interessa à metrópole se os povos da “província” passam bem ou vão de mal a pior. Algumas migalhas sempre caem, mais por descuido do que por amor aos pobres. E os nossos políticos, em vez de questionar esse sistema iníquo, de criticar estruturas prejudiciais aos povos da Amazônia, de exigir direitos e ”royalties”, aplaudem de pé e não hesitam em apelar até para a terminologia teológica quando falam em “salvação”, “redenção” da região, do Pará e da Amazônia. Infelizmente nada entendem da máxima do grande Santo Tomás de Aquino: “Gratia supponit naturam” (a graça pressupõe a natureza). No contexto da Amazônia: Jamais haverá redenção se a criação for arrasada, destruída, aniquilada! Aí só vai sobrar a desgraça, o caos, o apocalipse!


A Bol noticias comenta:
"A dúvida financeira sobre Belo Monte, que será construída no rio Xingu, no Pará, cujo porte só é superado por Três Gargantas, na China, e Itaipu, de Brasil e Paraguai, é sobre o custo. O governo estima o preço em quase R$ 20 bilhões, mas as empreiteiras acreditam que gastarão até R$ 30 bilhões. Nas estimativas do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), apenas o trem-bala Rio-São Paulo, estimado em R$ 25 bilhões, prevê investimento tão pesado.
Além das dificuldades na construção, as companhias preveem aproveitamento de energia apenas razoável, uma vez que a capacidade instalada de cerca de 11 mil megawatts produzirá pouco mais de 4,4 mil megawatts, ou perto de 40% do possível. Em outras hidrelétricas, esse número ultrapassa os 50%, embora a capacidade instalada seja menor.
O empreendimento tem entrada de operação prevista para 2015 (1ª fase) e 2019 (2ª fase).
As dúvidas sobre o custo real da empreitada e a ameaça de impacto ambiental superior ao previsto trazem o risco de a iniciativa ser barrada na Justiça e não sair do papel.

Críticos argumentam que o impacto ambiental e social da instalação de Belo Monte foi subestimado. Eles dizem que os estudos feitos não são respondem à pergunta: o que acontecerá com fauna, flora e população ribeirinha da região? O governo alega que o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) deu licença prévia e a obra deve começar. "



Vamos destruindo....destruindo....destruindo.....até não sobrar nada!




Wanda Wenceslau


Atualização no blog .... http://arnaldofenix.blogspot.com

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Alecrim





O alecrim - Rosmarinos officinalis, planta nativa da região mediterrânea - foi muito apreciado na Idade Média e no Renascimento, aparecendo em várias fórmulas, inclusive a 'Água da Rainha da Hungria', famosa solução rejuvenescedora.

Elizabeth da Hungria recebeu, aos 72 anos, a receita de um anjo (um monge?) quando estava paralítica e sofria de gota. Com o uso do preparado, recobrou a saúde, a beleza e a alegria. O rei da Polônia chegou a pedi-la em casamento!Madame de Sévigné recomendava água de alecrim contra a tristeza, para recuperar a alegria.
Rudolf Steiner afirmava que o alecrim é, acima de tudo, uma planta calorífera que fortalece o centro vital e age em todo o organismo.
Além disso, equilibra a temperatura do sangue e, através dele, de todo o corpo. Por isso é recomendado contra anemia, menstruação insuficiente e problemas de irrigação sangüínea

Também atua no fígado. E uma melhor irrigação dos órgãos estimula o metabolismo.

Um ex-viciado em drogas revelou que tivera uma visão de Jesus que o tornou capaz de livrar-se do vício. Jesus lhe sugeria que tomasse chá de alecrim parar regenerar e limpar as células do corpo, pois o alecrim continha todas as cores do arco-íris.

O alecrim é digestivo e sudorífero.
Ajuda a assimilação do açúcar (no diabetes) e é indicado para recompor o sistema nervoso após uma longa atividade intelectual.

É recomendado para a queda de cabelo, caspa, cuidados com a pele, lesões e queimaduras; para curar resfriados e bronquites, para cansaço mental e estafa; ainda para perda de memória, aumentando a capacidade de aprendizado.

Existe uma graciosa lenda a respeito do alecrim:

Quando Maria fugiu para o Egito, levando no colo o menino Jesus, as flores do caminho iam se abrindo à medida que a sagrada família passava por elas. O lilás ergueu seus galhos orgulhosos e emplumados, o lírio abriu seu cálice. O alecrim, sem pétalas nem beleza, entristeceu lamentando não poder agradar o menino.

Cansada, Maria parou à beira do Rio e, enquanto a criança dormia, lavou suas roupinhas. Em seguida, olhou a seu redor, procurando um lugar para estendê-las.

'O lírio quebrará sob o peso, e o lilás é alto demais. Colocou-as então sobre o alecrim’ e ele suspirou de alegria, agradeceu de coração a nova oportunidade e as sustentou ao sol durante toda a manhã.

‘Obrigada, gentil alecrim!’ - disse Maria. Daqui por diante, ostentarás flores azuis para recordarem o manto azul que estou usando. E não apenas flores te dou em agradecimento,mas todos os galhos que sustentaram as roupas do pequeno Jesus, serão aromáticos.‘Eu abençôo folha, caule e flor, que a partir deste instante terão aroma de santidade e emanarão alegria.'

É só uma lenda.......Mas chá de alecrim é o meu preferido e só uso sabonete de alecrim no meu banho. ...adoro!


Wanda Wenceslau

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Morro do Bumba e a depressão




Abrir os olhos e olhar o mundo nos leva à depressão. Saber que dezenas de pessoas viviam sobre um aterro sanitário. Lá construíram seus barracos ou suas humildes casa de tijolos sem reboco , lá viviam indo e vindo, rindo e chorando, amando e sofrendo, mas viviam. Tinham a miserável vida dos pobres de um país do terceiro mundo. Tinham sonhos, mudar dali para um bairro de classe média, para um apartamento num bairro melhor.
Agora estão ali, debaixo dos escombros, mortos! Acabou-se a ilusão , o sonho e a vida. Famílias inteiras que talvez o maior sonho fosse alugar uma linha de tv à cabo ou  comprar um carro usado.Famílias destruídas pelo ganância de homens públicos e pelo descaso de políticos corruptos. Quem vendeu o terreno? Quem deixou construir? Quem levou água encanada e luz elétrica até as casas? São todos culpados! Nós somos culpados ! Porque não cobramos nada das autoridades.Mandamos ajuda, alimentos para os sobreviventes, mas quem vai procurar os responsáveis? Ninguém!
O prefeito diz que a culpa é da chuva! Sim, a chuva veio para lavar a sujeira que começa lá em cima no senado,passa pela câmara e escorre pelo judiciário, naquela lamaceira podre onde homens que lá são colocados para cuidar do povo, só sabem roubar e desviar verbas. Só pensam em enriquecer a si, deixando pessoas morando em habitações que não servem nem para animais.Enquanto isso,  políticos mandam construir castelos , mansões, ilhas, condomínios de luxo.O que lhes dá o direito de pensarem que são melhores que qualquer morador de favela? O que?
A janela está aberta, vamos colocar uma cortina nela para que ninguém nos veja do lado de cá e para não enxergarmos o que não queremos ver. É depressivo!

Wanda Wenceslau

domingo, 11 de abril de 2010

Porque é domimgo......







Sou como você me vê...posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania,depende de quando e como você me vê passar...suponho que me entender não é uma questão de inteligência e sim de sentir, de entrar em contato...tenho uma alma muito prolixa e uso poucas palavras, sou irritável e firo facilmente. Também sou muito calma e perdôo logo.
Não esqueço nunca. Mas há poucas coisas de que eu me lembre...Tenho felicidade o bastante para ser doce,dificuldades para ser forte,tristeza para ser humana e esperança suficiente para ser feliz. Não me dêem fórmulas certas, por que eu não espero acertar sempre. Não me mostrem o que esperam de mim, por que vou seguir meu coração. Não me façam ser quem não sou. Não me convidem a ser igual, por que sinceramente sou diferente. Não sei amar pela metade. Não sei viver de mentira. Não sei voar de pés no chão. Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma pra sempre...Sou uma filha da natureza:quero pegar, sentir, tocar, ser.E tudo isso já faz parte de um todo, de um mistério.Sou uma só... Sou um ser...a única verdade é que vivo.Sinceramente, eu vivo.
Clarice Lispector



domingo, 4 de abril de 2010

Sou viajante e viagem.

De repente acordamos . Tudo começa a fazer sentido.Tudo começa a ganhar a  forma  que, no fundo,  já se conhecia, mas  nos esquecemos  como era. Começamos  a despertar do sono estéril que, com suas mãos feitas de medo e neblina, faz a alma calar. Começamos  a perceber a força da vida e a ouvir o seu chamado.
Sei que ninguém começa a despertar antes do instante em que o medo vai embora.  Começamos  devagarinho, para não assustar o medo, a refazer o caminho que nos leva a cultivar flores na alma e espalhar seu perfume . Percebemos que esta coragem sempre existiu dentro de nós, estava lá ,acomodada, sem ver de verdade, o mundo
Lembrar de onde é o céu e a perceber que o inferno é onde a gente mora quando não temos animo.  Começamos  a olhar, ainda que timidamente, para todas as miragens, sem tanto desprezo, entendendo que havia um motivo para que elas estivessem exatamente onde as colocamos . Nenhum livro, nenhum sábio, nada poderia  ensinar o que cada uma  trouxe e o que, com o passar do tempo, continuamos  aprendendo com elas. Dizem que só é possível entendermos alguns pedaços da vida olhando para eles em retrospectiva. Acho que é verdade.
Comecei a compreender o respeito e a reverência que a experiência humana merece. A me dar conta de delícias que passaram despercebidas durante o periodo em não queria viver. E a lembrar do que estou fazendo aqui. Ainda que eu não faça. Ainda que os vícios que o passado  deixou costumem me atrapalhar. Ainda que, de vez em quando, finja continuar dormindo. Mas não tenho mais tanta pressa. Comecei a aprender a ser mais gentil com o meu passo. Afinal, não há lugar algum para chegar além de mim. 

Eu sou a viajante e a viagem.

Querer viver , com uma percepção mais nítida do que a vida. E achei bom estar enxergando agora desta maneira.  Quero acordar a cada manhã sabendo para o quê estou levantando e comprometida com isso, seja lá o que isso for, porque, definitivamente, cansei de perambular pelos dias sem um compromisso genuíno. E comecei a gritar por liberdade de uma forma que me surpreendeu. Antes eu também gritava, mas o medo sufocava o grito para que eu não me desse conta do quanto estava presa.


Começamos  a desejar menos entender de onde viemos e a desejar mais aprender a estar aqui a cada agora. Só sei que descobri que a solidão é estar longe da própria alma. Que ninguém pode nos ferir sem a nossa cumplicidade. Que, sem que a gente perceba, estamos o tempo todo vivendo o que criamos . Que o nosso menor gesto toca toda a vida porque nada está separado. Que a fé é uma palavra curta que arrumamos para denominar essa amplidão que é o nosso próprio poder.

Sei que não importam todos os rabiscos que já fizemos nem todos os papéis amassados na lixeira, porque todo texto bom de ser lido antes foi rascunho. E, por mais belo que seja, é natural que, ao relê-lo, percebamos uma palavra para ser acrescentada, trocada, excluída. A ausência de uma vírgula. A necessidade de um ponto. Uma interrogação que surge de repente. Viver é refazer o próprio texto muitas, incontáveis, vezes.

Não sei exatamente em que momento comecei a despertar. O que sei é que não quero aquele sono outra vez.

Wanda Wenceslau