xxxxxxx

******

sexta-feira, 29 de julho de 2011









"Amanheci em cólera. Não, não, o mundo não me agrada. A maioria das pessoas estão mortas e não sabem, ou estão vivas com charlatanismo. E o amor, em vez de dar, exige. E quem gosta de nós quer que sejamos alguma coisa de que eles precisam. Mentir dá remorso. E não mentir é um dom que o mundo não merece..."
Clarice Lispector

.

domingo, 24 de julho de 2011

Cotidiano de Chico à Jucá




Todo dia ele fazia tudo sempre igual:acordava às seis horas da manhã,
Sorria um sorriso pontual.
Saia para o trabalho e beijava a mulher  com a boca de hortelã.

Carregava no bolso  apenas dois reais e dirigindo seu Uno 98, com licenciamento vencido. Preocupava-se em não ser pego pela fiscalização, naqueles vinte quilômetros que o separava da obra onde trabalhava. Morava com a mulher e  os dois filhos, de favor, na casa da irmã, porque se tivesse que pagar aluguel, não conseguiria sobreviver. Ao se despedir , a mulher dizia ,que era para ele se cuidar e essas coisas que diz toda mulher, dizia que o estava esperando pr'o jantar e o beijava com a boca de café.
Todo dia ele ia com a ilusão de acertar na loteria, comprar uma casa grande, ajeitar a vida da família. Apertava os dois reais no bolso e pensava se deveria jogar naquele dia o único dinheiro que tinha. 
Meio dia, ele pensava em dizer não, depois pensava na vida para levar e se calava com a boca de feijão.
Seis da tarde , como era de se esperar, ele deixava o trabalho e voltava para casa. Só parava, no bar,  para uma pinguinha, se um amigo oferecia para pagar.
Sabia que a mulher o esperava no portão.Dizia que estava muito louca para beijar e beijava coma boca de paixão.
Seria o  cotidiano, muito bem composto e cantado pelo Chico , na música Cotidiano, se esse  operário brasileiro fosse apenas o João Nada, mas, ele é , Roberto Ferreira Cunha, o"laranja ". Apesar de estar levando essa vida sofrida e rabiscada, Roberto,  possuía na sua conta bancaria oito milhões de reais, exatamente, quase seis milhões de dólares. Não sabia que ficou milionário, graças a um senador da república, que ele não conhece e de quem nunca ouviu falar. Seu nome foi usado criminosamente para ocultar os verdadeiros beneficiários de mais um golpe contra os cofres públicos.
O senador Romero Jucá , líder do governo, fez toda pressão possível pra que seu irmão mais novo Oscar Jucá Neto, fosse nomeado para exercer a função de guarda de um cofre do governo , onde passarão,  neste ano , nada mais que cinco bilhões de reais. Na surdina, sem consultar ninguém, desrespeitando todos os procedimentos burocráticos e pareceres jurídicos, Jucazinho, mandou depositar na conta da empresa Renascença, oito milhões de reais . Sabe em nome de quem estava a empresa? Roberto Ferreira Cunha, o nosso pedreiro, aquele que só tinha dois reais no bolso e sonhava em ficar milionário .Sua identidade foi usada para esconder o lixo da corrupção.
O uso de laranjas para esconder malfeitorias é apenas um dos muitos truques usados por políticos para fazer mágica com o dinheiro público. Relatórios apontam 80.000 indícios de irregularidades nas licitações. É o dinheiro arrecadado de nossos impostos que vai parar no bolso de político corruptos. Em auditoria desde abril, já foram detectados 4.6 bilhões de reais em  negócios irregulares .(fonte:  revista Veja edição 2227).
Como fica o nosso personagem do cotidiano? Fica pobre, fica miserável, fica sugado pelo desprezo dos homens públicos , aqueles, em que nós votamos nas eleições, ano sim,  ano não.
A música do Chico Buarque de Holanda, termina assim:
Toda noite ela diz pr'eu não me afastar;
Meia-noite ela jura eterno amor
E me aperta pr'eu quase sufocar
E me morde com a boca de
PAVOR.
Wanda Wenceslau

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Caro Riccardo


Caro Riccardo



O tempo foge.

Você está a ponto de chegar e eu a ponto de partir.

Talvez possamos transcorrer alguns poucos minutos juntos, mas certamente não conseguiremos estabelecer qualquer contato, daqueles que definem os homens modernos.

Não vou poder pegar no telefone e perguntar se as provas do segundo bimestre foram difíceis; e você não vai encontrar o meu e-mail, para me contar a respeito da sua nova namorada.

Temos exatos oitenta anos de diferença.

Um abismo que por agora nos é impossível transpor.

Mas já andam dizendo que o tempo não existe, é apenas um ilusão, uma curva do espaço..

Se assim for, poderemos, em poucos anos (ou serão poucos metros?), nos conhecer e saborear esse conhecimento; será um clima normal para você, mas absolutamente fantástico para mim.

E será apenas alguns quarteirões à frente do momento presente.

Seja como for, alguém vai contar-lhe algumas poucas coisas de mim.

Espero que não lhe contem muitas bobagens.

Sabe, quando somos jovens, o mundo nos pertence.

Ele é totalmente nosso, podemos apropriar-nos da parte que quisermos. Somos livres e abertos.

Mas conforme os anos passam, ele se transforma e nós também; passamos a pertencer-lhe e a ser apenas uma pequena parte dele, uma engrenagem inútil e insignificante.

Na grande comédia que nos envolve, recitamos um papelzinho à-toa e não sabemos o que representamos; não tivemos tempo nem de ler a nossa parte; por isso, inventamos qualquer coisa, quando chega a nossa vez e logo saímos da cena.

Sorte, se tivemos tempo de dizer uma fala; sorte maior, se alguém se lembrar do que dissemos.

Deve haver algum desígnio nisto tudo, nesta maravilha confusa, caótica, explosiva e temperamental que chamamos de Natureza.

Eu, sinceramente, procurei-o, mas não o encontrei.

Apenas minha alma, contrariamente a toda a lógica, continua me dizendo que deve existir, que não posso parar de procurá-lo.

Espero que você tenha mais sorte que eu.

Não conheci nenhum dos meus bisavôs; eles não me deixaram uma única pista, uma pequena lembrança, nada.

Nem mesmo o nome deles, eu sei; e mesmo assim, sinto uma espécie de saudade (como se pode ter saudade do que não tivemos?) uma vontade de tê-los conhecido, de ter convivido com eles, de saber como eles eram, de compará-los comigo; para juntar esses vidrinhos coloridos de que é feita a minha alma; e para poder dizer: esta conta verde é do bisavô n. 1; aquela lasca azul, é o bisavô n. 3; este cristalzinho miúdo e sem cor é da bisavô n. 4.

Mas os bisavós são tantos!

Quatro homens e quatro mulheres, cada um com seu caráter diferente, com sua capacidade e suas virtudes, seu defeitos e vícios.

No máximo, cada um pode ter-me deixado um oitavo do que era; e este oitavo pode ser apenas a cor dos olhos, ou um gesto, um modo de mexer a boca, ou as mãos, que só quem conviveu com eles poderia reconhecer.

Gostaria que o oitavo que lhe estou transmitindo agora, fosse o melhor de mim. Porque mesmo que sejamos péssimas pessoas, deve haver pelo menos um oitavo de matéria prima boa, capaz de dar bons resultados.

Este é o meu voto, Riccardo.

Que movida por um desejo infinito de nossa parte, comovida por nossa vontade de tornar o mundo melhor, através de pessoas melhores, a natureza,(ou quem sabe o Destino, ou Deus, qualquer Deus bom e paciente ) tenha transferido para você a melhor parte de cada um de nós; pensando bem, foram 14 pessoas que contribuíram para que você fosse o melhor!....Que responsabilidade, a sua!

Espero que você seja paciente – sem ser submisso

Que seja inteligente, capaz, sábio – sem ser um gênio extravagante

Que esteja pronto a ajudar os outros – e a receber ajuda deles também.

Que tenha compaixão e piedade - sem se deixar enganar pelos espertinhos

Que dose seu amor e carinho, com segurança e mão firme.

Que erre – sem ter medo de errar.

Que ao tropeçar, levante e siga em frente

Que seja teimoso o bastante para vencer suas dificuldades

Que saiba o momento de mudar de rumo – antes que a sua coerência se torne uma burrice.

Que seja alegre e seguro de si, porque é a melhor forma de viver esta única vida que lhe foi dada.

E por fim, que daqui a oitenta anos, possa assistir ao nascimento de seu bisneto e que Você lhe escreva uma carta – um pouco mais inteligente que esta, que você está recebendo agora, mas com o mesmo carinho que esta lhe leva.....


Seu bisavô – um dos oito...

Romano Dazzi



Maravilhoso texto que nos apresenta este escritor que dá um show de inteligência,talento e sensibilidade.
A quem tive oportunidade de conhecer neste incrível mundo virtual e do qual guardo lembranças de um amigo com A maiusculo!
Wanda Wenceslau

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Amor incondicional




"Procure me amar quando eu menos merecer, porque é quando eu mais preciso"(Provérbio sueco)

O amor é lindo!Simplesmente fantástico, simplesmente surpreendente É complexo e real, requer doação de corpo  e alma. Todos queremos ser amados.
É fácil amar alguém que  nos veste de carinho e parece sempre bem disposto, vitorioso, próspero, completo, inteiro.É fácil amar  alguém com o corpo saudável e bronzeado, brincando e sorrindo  na beira da praia. É fácil amar alguém num jantar a luz de velas e com uma boa taça de vinho nas mãos.
Me ame quando eu estiver uma chata, gritando, chorando, brava. Não vá embora quando eu estiver reclamando, ou quando eu estiver chateada com você. Fique. Me ouça. Fale comigo. Peça desculpas. Me abrace por mais que eu diga para você me soltar. Me ame quando eu estiver irritada , porque para me amar quando estou um doce, já  tem o resto do mundo.
Aquela pessoa que idealizamos, que endeusamos, percebemos que é de carne e osso, com seus defeitos, suas manias ,e claro ,com suas virtudes.
Vendo o real, a verdade de cada um, é que podemos dizer que o amor existe. Se ele sobreviver as não virtudes, ao ver o outro sem máscara e sem ilusão.A aceitação do outro incondicionalmente, isso sim é o amor.
Nos momentos em que mais precisamos ser amados e compreendidos é que o amor se farta.
Justamente nesses momentos é que precisamos de afagos, carinhos e compreensão.
Apenas com respaldo no amor do ser amado é que seremos capazes de nos reerguer e voltar a compartilhar os momentos de prazer e de alegria.
Amar incondicionalmente é amar em todos os momentos. Mesmo quando não estou bem, quando estou soltando faíscas. Amor incondicional é amar de graça, não importa o que aconteça estamos ali amparando, cuidando da pessoa em todos as ocasiões. Mesmo quando ela se perde de si mesma, se há amor, continuamos a seu lado para lembrar o quão maravilhosa ela é!
Amor é um sentimento divino, quando eu digo "eu te amo" lê-se "eu te amo incondicionalmente" a palavra está implícita ali. Pois amar alguém, é amar do jeito que a pessoa é, com seus defeitos, qualidades (o pacote completo). Para mim se não é incondicional não é amor
Poucos são os que nos aguentam quando nem nós nos suportamos... mas este que é o amor verdadeiro.
Já recebi carinho quando muito precisava e foi uma benção, já esperei cuidado quando muito precisava e pessoas que amo não agiram com a atenção necessária, ou com a atenção que eu dou a elas. Já precisaram de mim e muito dei-me, mesmo me sentindo fraca  e insegura, superei  tudo por amor. 
Hoje vou agradecer às muitas pessoas que tem me amado quando eu mais preciso.

Wanda Wenceslau 

terça-feira, 19 de julho de 2011

Recomeço




Não é preciso agendar, entrar em fila, contar com a sorte, acordar cedo para pegar senha: a possibilidade de recomeço está disponível o tempo todo, na maior parte dos casos. Não tem mistério, ela vem embrulhada com o papel bonito de cada instante novo, essa página em branco que olha pra gente sem ter a mínima ideia do que escolheremos escrever nas suas linhas.
Não se contente com coisas ruins na sua vida. Não deixe a rotina te fazer acostumar com a falta de sorriso, com falta de gentileza, de cuidado, da perspectiva de crescimento. Não deixe de acreditar em um futuro melhor para você e para aqueles que estão a sua volta
O que é preciso mesmo é ter coragem para abrir o presente.

Wanda Wenceslau

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Acordar



Atravessarmos a noite e acordar mais uma vez é uma dádiva!
O dia é ainda uma página em branco!O que vamos escrever nela hoje?
Estamos protagonizando a história da nossa vida!Vamos ser o mocinho ou o bandido?
Levantamos da cama e lembramos de dezenas de coisas para fazer durante o dia.
Mudar  a rotina? Continuar nela?De repente uma loucura? Qual o tamanho da loucura? Uma viagem ao Senegal ou comprar um sapato novo?
Não vou começar o dia correndo e nem começar o dia na contramão!
Vou começar o dia preguiçosamente tomando um café da manhã " ..vou pedir  o café pra nós dois, te fazer um carinho e depois..."
E depois me preparar rápido porque as nove tenho que ir ao dentista, as onze preciso passar  no mercado, as 12 preciso...preciso...preciso...
É isso vou escrever na minha página de hoje?
Alguma boa surpresa pode mudar o rumo da história.......talvez eu dê um pulinho ao Senegal!
E você? O que vai escrever na página da sua vida hoje?
Ah! Sabe aquele amigo que há muito tempo você não vê? Que tal dar um telefonema?Marcar um encontro e tomar um café?Um suco? Um vinho?
Pessoas que conhecemos já escreveram as últimas páginas de suas vidas, outras  ainda estão escrevendo, as vezes, querem voltar, apagar um trecho e reescrever, mas não é possível!
Outras estão chegando agora, com o livro inteirinho em branco.No começo vamos guiá-las, ajudá-las na redação, depois terão que continuar escrevendo sozinhas.
Seremos personagens dessas histórias, as vezes, só figurantes.Nunca percebemos a importância disso!
Agradeço aos meus personagens e aos meus figurantes, esta minha história não seria tão bela sem vocês!

Wanda Wenceslau